Ciência Aberta

O CFE apresenta um forte compromisso com a transferência de conhecimento para o público em geral e para o setor produtivo, com ênfase na sustentabilidade dos territórios e bem-estar das comunidades locais, o que se coaduna com os princípios da Ciência Aberta.

A Ciência Aberta, no âmbito da Recomendação publicada pela UNESCO em novembro de 2021, é definida como uma “construção inclusiva que combina vários movimentos e práticas com o objetivo de tornar o conhecimento científico multilíngue abertamente disponível, acessível e reutilizável para todos, aumentar as colaborações científicas e a partilha de informações em benefício da ciência e da sociedade e abrir os processos de criação, avaliação e comunicação do conhecimento científico para atores sociais além da comunidade científica tradicional. Abrange todas as disciplinas científicas e aspetos das práticas académicas, incluindo ciências básicas e aplicadas, ciências naturais e sociais e humanidades, baseia-se nos seguintes pilares principais: conhecimento científico aberto, infraestruturas científicas abertas, comunicação científica, envolvimento aberto de atores sociais e diálogo aberto com outros sistemas de conhecimento”.

1. O CFE, coletivamente, e os investigadores do CFE, individualmente, identificam-se e comprometem-se a inserir nas práticas de investigação os princípios da Ciência Aberta, observando as orientações e políticas nacionais e internacionais, nomeadamente:

  • Tornar os dados de investigação tão disponíveis quanto possível, cumprindo os Princípios FAIR (Findable. Accessible. Interoperable. Reusable.)
    (Por exemplo, depositar os dados de investigação que não estejam Acesso Aberto em repositórios abertos, tanto quanto possível.)
  • Tornar os resultados da investigação tão disponíveis quanto possível, abrangendo todos os interessados, independentemente da capacidade de pagamento pelo acesso.
    (Por exemplo, disponibilizar preprints, publicar preferencialmente em revistas de acesso aberto e depositar as publicações em repositórios abertos.)
  • Adotar metodologias de investigação abertas, também referida como Investigação Reprodutível Aberta (Open Reproducible Research), através da documentação dos passos seguidos durante o processo de investigação, acrescentando valor na validação dos resultados e garantindo a reprodutibilidade da investigação.
    (Por exemplo, descrever as etapas do processo de investigação - incluindo os dados brutos, dados com curadoria, documentação metodológica detalhada, ferramentas, projetos de estudo, protocolos, código, materiais, reagentes - e disponibilizá-las quando aplicável.
    Adotar softwares/ferramentas livres (open source); Deixar em open source possíveis softwares que venham a ser desenvolvidos no âmbito da investigação.)
  • Desenvolver ou integrar projetos de investigação que envolvam cidadãos, adotando práticas de Ciência Cidadã.
    (Por exemplo, envolver os cidadãos, de forma voluntária, no processo de investigação, desde a proposta de temas ou problemas, recolha e análise dos dados até à disseminação dos resultados.)
  • Colaborar em processos de Revisão Aberta por Pares (Open Peer Review), contribuindo para uma maior transparência no processo de validação da investigação.
    (Por exemplo, optar por incluir a revisão por pares no artigo final, assinar as revisões por pares quando for oportuno e se sinta confortável para o fazer, optar por publicar em periódicos que já fazem open peer review.)

2. O CFE tem participado nas dinâmicas de reflexão e promoção da Ciência Aberta, designadamente na iniciativa Citizen Science Global Partnership criada em parceria com a United Nations Environment Programme (UNEP) e o apoio da United Nations Educational, Scientific, and Cultural Organization (UNESCO). O CFE está empenhado na promoção das orientações resultantes dos Working Groups em curso (Policies and Policy Instruments; Monitoring Framework; Funding and Incentives; Capacity Building; Infrastructures).

3. O CFE coordena e participa em múltiplos projetos de investigação nacionais e internacionais que prosseguem práticas rigorosas quanto a dados e publicação de resultados em acesso aberto, adotando planos de dados exigentes e responsáveis, pretendendo alargar a prática ao conjunto da atividade dos seus investigadores.

4. O CFE tem promovido diversos projetos de Ciência Cidadã e incorpora dinâmicas de promoção de envolvimento e transferência de conhecimento com a sociedade (entidades públicas e privadas, empresas, cidadãos), empenhando-se globalmente e ao nível das suas diversas atividades num sentido de responsabilidade social científica.

5. O CFE tem uma equipa dedicada à promoção da ciência aberta, envolvendo ações de formação e acompanhamento visando i) a transparência nas práticas, metodologia, observação e recolha de dados; ii) a valorização e transferência do conhecimento científico; iii) o acesso público e a transparência na comunicação científica, iv) a utilização de ferramentas baseadas na web de forma a facilitar a colaboração científica.