/ Grupos de Investigação

Saúde do Solo

Pls

José Paulo Sousa

Luís Cunha

Reconhecendo o solo não apenas como um substrato, mas como uma entidade biológica dinâmica, o grupo de investigação em Saúde do Solo foca-se em decifrar as inúmeras interações, processos e mecanismos que constituem as múltiplas facetas da saúde do solo. Adotando uma perspetiva holística, procura elucidar o equilíbrio intricado entre as propriedades físicas, químicas e biológicas do solo, com o objetivo de definir métricas e contribuir para o desenvolvimento de estratégias de gestão, restauro e conservação sustentáveis do solo, aumentando a sua resiliência e produtividade face aos diferentes desafios ambientais. Ao empregar técnicas analíticas avançadas, pretende discernir os perfis de atividade microbiana e faunística, a dinâmica dos componentes orgânicos e inorgânicos, e os efeitos dos vários fatores de stress que influenciam a diferentes componentes da saúde do solo. Ancorado num diálogo sustentado entre diferentes atores, tem também como missão aumentar a literacia para o solo, abordando e compreendendo as preocupações que impactam este recurso vital. A informação produzida pretende oferecer sugestões informadas contribuindo para a melhoria de políticas públicas, visando assegurar a sustentabilidade dos ecossistemas, essencialmente nos setores agrícolas e florestais. Este grupo inclui as seguintes Linhas de Investigação (Lis)


LI 1: Ecologia e Ecotoxicologia de Solo
Esta LI centra-se na compreensão das interações e dinâmicas no ecossistema “solo” e dos efeitos derivados de diferentes fatores de stress a que está sujeito, particularmente em sistemas agrícolas e agroflorestais. No geral, a investigação desenvolvida visa contribuir para a adoção de práticas que possibilitem aumentar ou manter a saúde do solo e a sustentabilidade e resiliência destes sistemas. Envolve duas componentes principais: 1) Componente de “Ecologia de Solo” focada na avaliação das alterações na biodiversidade funcional dos organismos do solo (microorganismos, meso e macrofauna do solo) e nos benefícios em explorar as relações “planta-microorganismo” com o objetivo de compreender e explorar os seus efeitos nos processos ecológicos do solo e na prestação de serviços dos ecossistemas. Dá-se especial ênfase aos impactos de diferentes práticas de gestão, mudanças de uso do solo, alterações da paisagem e eventos climáticos extremos; 2) Componente de “Ecotoxicologia Terrestre” focada essencialmente no desenvolvimento processos de avaliação de risco ecológico de produtos fitofarmacêuticos (PPPs) para organismos do solo e artrópodes auxiliares (polinizadores e agentes controladores de pragas). A investigação está fortemente alinhada com os objetivos e necessidades de investigação apontados pela EFSA (Autoridade Europeia de Segurança Alimentar) ao nível da avaliação de efeitos de novos compostos e efeitos de misturas realistas de PPPs, avaliação dos principais fatores que condicionam a biodisponibilidade destes compostos para os organismos não-alvo, bem como dos efeitos da aplicação destes compostos na biodiversidade destes organismos em campo. Nesta LI estão envolvidos elementos do SEEL, ENGEL e B-Team.


LI 2: Interações Nematode-Planta
Esta LI desenvolve atividade em: i) identificação morfológica, bioquímica/molecular e quantificação de nemátodes fitoparasitas dos géneros Globodera e Heterodera (nemátodes-de-quisto), Meloidogyne (nemátodes-das-galhas-radiculares), Pratylenchus (nemátodes das lesões radiculares) e Bursaphelenchus, nomeadamente B. xylophilus (nemátode da madeira do pinheiro (NMP)); ii) desenvolvimento de estratégias sustentáveis para o controlo de nemátodes fitoparasitas baseadas em agentes de controlo biológico, ativadores de mecanismos de defesa das plantas, culturas armadilha e fitoquímicos naturais; iii) desenvolvimento de metodologias alternativas e inovadoras para a obtenção de cultivares resistentes aos nemátodes fitoparasitas para serem aplicadas em horticultura, floricultura e fruticultura; iv) identificação de genes/proteínas relacionados com a patogenicidade de nemátodes fitoparasitas; v) estudo dos mecanismos de resistência de Pinus spp. à infeção do NMP vi) monitorização e/ou desenvolvimento de tratamentos de madeira para eliminação do NMP. Esta LI envolve investigadores do NEMATO-lab.


LI 3: Genómica da biodiversidade, adaptação e funcionalidade dos ecossistemas
Esta LI desenvolve uma abordagem abrangente à genómica, que inclui a análise de genes, genomas, metagenomas, transcriptomas e metatranscriptomas, num esforço constante de interligação de várias disciplinas. Esta abordagem fornece perceções aprofundadas sobre a taxonomia e diversidade de organismos existentes e do seu papel funcional num dado ecossistema. A investigação desenvolvida aprofunda-se também na linha evolutiva e filogenia de diferentes organismos, visando avaliar a sua capacidade de adaptação e aclimatação a novos ambientes e os efeitos da sua exposição a stress ambiental. Ao combinar tecnologias avançadas e dados experimentais, pretende-se elucidar a biologia intrínseca dos organismos, os seus traços funcionais e interações complexas dentro das dimensões ambientais bióticas e abióticas. De uma forma geral, esta LI tem como missão decifrar sistematicamente a paisagem funcional do ambiente através do prisma da genómica. Nesta LI estão envolvidos investigadores do ENGEL, SEEL e B-TEAM.


LI 4: Modelação Ecológica ao nível da Paisagem
Esta LI dedica-se à compreensão, simulação e previsão das interações entre padrões e processos ecológicos e a paisagem. Envolvendo uma equipa multidisciplinar, com sólidas raízes na ecologia da paisagem, combina princípios da ecologia, geografia e estatística para analisar as relações complexas entre os organismos e os ecossistemas. Ao incluir e integrar ferramentas em Sistemas de Informação Geográfica (SIG), monitorização remota e modelação matemática para captar a dinâmica espacial e temporal das paisagens, a investigação desenvolvida permite quantificar e simular fenómenos ecológicos como conectividade, fragmentação de habitats, distribuição de espécies (nativas e invasoras), nichos ecológicos, adequação de habitats/paisagens e padrões de biodiversidade. Esta abordagem facilita a identificação de corredores ecológicos, pontos críticos de biodiversidade e áreas em risco de degradação ecológica. A investigação nesta área é essencial para desenvolver estratégias de conservação eficazes, estabelecer áreas a proteger e promover a conectividade de habitats. Nesta LI estão envolvidos investigadores do LEM, SEEL e BEWild.

Equipa de investigação

Ana Rita Gonçalves

Artur Sarmento

CC

Camila Campello

CC

Carlos Carvalho e Cruz

Catarina Santos Coelho

Duarte Santos

EN

Eduardo Silva Nascimento

Fernanda Benedet de Santo

Fernanda Garcia

Henrique Pereira

Isabel Abrantes

Isabel Luci Conceição

Ivânia Esteves

Joana Figueiredo

JC

Joana Moura e Sá Cardoso

João Leocádio

Joaquim Cuvaca

José Paulo Sousa

LP

Laura Perpétuo

Leidy Rusinque

LQ

Libânia Queirós

Liliana Almeida

Luís Fonseca

Luísa Fraga Cysneiros

Márcia Silva

MC

Maria José Cunha

Marie Bartz

Olímpia Sobral 

PS

Paula Malaquias Souto

Pedro Martins da Silva

Raquel Juan Ovejero

Raquel Varandas

Ricardo Leitão

Rui S. Oliveira

SS

Sandra Simões

Sara Conceição Mendes

Sónia Chelinho